quinta-feira, 27 de julho de 2017

PrEsEntE

Na semana passada tive uma inspiração diferente
Um impulso, uma luz, uma clarividência
Dentro de mim algo me disse que já cresci
E me tornei adulto - e me convidou de modo sutil
A abandonar a vida infantil - de criança e adolescente
E adotar - de uma vez por todas
Uma vida madura e responsável - grande determinação
Que me faz pensar e repensar em quem sou
Em como a vida muitas vezes se esquece de avisar
A tantos de nós - que temos que crescer
Ou então em quanto tempo tantos de nós permanece surdos
Aos gritos e berros dessa vida aos nossos ouvidos
Que fala, mostra, revela e escancara a realidade
Diante dos nossos olhos - onde muitos de nós estão cegos
E insensíveis aos toques na pele - e no coração
As experiências, sensações e sentimentos
As leis, regras e mandamentos
A verdade do amor - e vivendo no alento
Vivemos uma vida tentando nos esquecer
Que o tempo não para nunca - e tudo se transforma
Precisamos abandonar todo tipo de nostalgia - a que estamos apegados
E esquecer um pouco do futuro - que pode até não chegar 
Pois o presente é o que temos - vamos nele nos aprofundar...

quarta-feira, 7 de junho de 2017

Vida hipócrita de farrapos

Por que tudo ao nosso redor é tão falso?
Por que a maioria das pessoas se contenta
A basear suas vidas inteiras na mentira?
Quantas ilusões e ideias de falsas felicidades
Nos são propostas todos os dias - incessantemente
Como nos acovardamos simplesmente diante da verdade
De quem somos e como somos
Não temos coragem de assumir nossa história
Nem nossa vida, nem nosso destino, nem nossas verdades
Estamos acostumados demais com o vazio
Amoldados e conformados com a situação
De perigo constante - que nos cerca
De medo ambulante - que nos persegue
De razões vagas - que nos rodeiam
De limitações impertinentes - que nos violam
E fazem de nós uma caricatura avultante
Do que até nós mesmos temos medo de encarar
Como nos tornamos bizarros quando fugimos
Dos gritos e apelos mais alarmantes
Que existem dentro de nós - e queremos abafar
Vivendo uma vida hipócrita de farrapos
Onde a morte se tornou nossa regra básica de viver...

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Apoiado em ti

Eu vou seguir
Vou conseguir
Apoiado em ti
Vou até o fim

Vou vencer meus medos 
Atravessar as pontes
Escalar montanhas
Expandir meus horizontes
Vou perseverar em tua santa graça
E me saciar com tua palavra

Eu vou seguir
Vou conseguir
Apoiado em ti
Vou até o fim

Vou cruzar os mares
Derrubar gigantes
Renunciar o pecado
E seguir adiante
Em teus caminhos, Deus, é o meu lugar
Nem vida ou morte vai me separar...

Do teu amor!
No teu amor...
Em teu amor...
Pelo teu amor...

Eu vou seguir
Vou conseguir
Apoiado em ti
Vou até o fim

terça-feira, 7 de março de 2017

MiNhA úNiCA cAsA

Não sei como dizer te amo, meu Jesus
Não tem como dizer te amo fora da cruz
Não sei como dizer te amo, meu Jesus
Não tem como dizer te amo fora da cruz

Onde teu coração se move de dó e compaixão
Onde teu coração acolheu toda a dor
Onde teu coração sofreu a paixão
Esse teu coração se doou por amor... na cruz

Ensina-me a dizer te amo, meu Jesus
Ensina-me a aprender com Maria aos pés da cruz
Ensina-me a dizer te amo, meu Jesus
Ensina-me a aprender com Maria aos pés da cruz

Onde do teu coração fluiu sangue e água
Onde o teu coração acolheu minhas faltas
E no teu coração encontrei minha morada
É o teu coração a minha única casa
Lá na cruz, em tua cruz, aqui na cruz

Em tUa pReSenÇa

Em tua presença, Senhor
Em tua presença, Senhor
Em tua presença, Senhor
Em tua presença, Senhor
O meu coração se entrega a ti
O meu coração se entrega a ti
O meu coração se entrega a ti
O meu coração se entrega a ti
TODO A TI 
TODO A TI
TODO A TI
TODO A TI

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

nUncA aNTeS

Nunca antes fui tão infeliz em minha vida
Nunca antes fui tão triste como o sou atualmente
Nunca antes tudo perdeu tanto o sentido como hoje
Nunca antes vivi na mentira tão intensamente
Nunca mais fui eu mesmo - depois que
Nunca mais me lembrei de quem eu sou
Nunca antes mergulhei tão profundo no nada
Nunca antes vivi tão vazio e tão cheio de solidão
Nunca antes falei com tanta gente ao mesmo tempo
Nunca antes fingi tanto o que não era pra conseguir o que eu queria
Nunca antes fui tão preso e tão ligado a essa terra
Nunca antes tinha me importado tanto com coisas tão banais
Nunca antes tinha experimentado tantas sensações juntas
Nunca antes me deixei levar por momentos como o faço agora
Nunca antes o meu dia a dia foi tão superficial
Nunca antes pensei que pudesse ter tanta ansiedade
Nunca antes imaginei que a agonia me torturaria tanto
Nunca antes fui tão dilacerado pela vida
Nunca antes sofri tanto as dores que experimento no meu presente
Nunca antes achei que me tornaria um animal
Nunca antes estive tão perdido a ponto de não ter esperança
Nunca antes ia dormir sem vontade de acordar...

domingo, 1 de janeiro de 2017

MiNhA cOMpLEtA soLidÃo

A coisa que mais me acompanhou - ou me acompanha
Pelos caminhos diversos que andei - e ainda ando
Que eu sempre vi de forma negativa - e ainda vejo
Que me torturou tão cruelmente - e ainda me tortura
Que traz a tona o pior que há em mim
Ou que me faz mergulhar em todo vazio no meu interior
Aquilo que ainda não entendo - e me faz refletir
Nos motivos e razões das minhas angústias
Que eu sempre tratei como inimiga mortal de minha alma
Que jamais me abandonou e nem me deixou só
E mesmo em meio a uma multidão - ainda lá estava
Ao meu lado - ditando meu modo louco de viver
E de agir - guiado pelos seus instintos
Ela já quase me matou - e me levou a loucura
Por muitas vezes assassinou - como em qualquer criatura
Minha relação com o que sou - e onde quero chegar - estatura
Me fazendo pequeno - aos meus próprios olhos
Tirando meu valor - e me deixando aos troços
Ferido, chorando - clamando por amparo
Por relacionamentos e amizades - pagando um preço caro
Me esquecendo do que vivi - me fazendo parecer fraco
Me excluindo de minha própria vida - e deixando os seus rastros
Muito mais forte e duradoura do que jamais foi
Nunca esteve tão presente e de forma tão aguda - tão gritante
Que me afundasse no poço profundo da minha história
Fazendo-o parecer tão raso e tão sonso
Me levando a perder-me no tempo - deixando cair no esquecimento
O autor da alegria, da esperança, do amor
O amigo que em todos os momentos me ajudou
O Deus que sempre resgatou o meu valor
Aquele que os meus dias sacramentou - e me fez renascer
Tirou-me da sombra, da morte - e me levou a crer
No sentido maior - que dá sentido ao meu viver
Ela me fez tentar preencher-me com o que não preenche
E me prendeu nas ilusões malucas que ela mesmo criou
Me tornou insensível - o amor, congelou
Deu asas as imaginações esquizofrênicas
Que tanto ofendem e desagradam a Cristo - o seu coração
Ela devia morrer - minha completa solidão
Mas hoje depois de tanto sangrar e chorar
Um novo dia, um novo ano, uma nova vida - floresce
E em meio a tanto escuro - tanta escuridão
Hoje posso ver uma luz - a beleza dessa solidão
Sua completude que me fez vazio agora se esvazia para eu ser completo!

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

a CrEeP

I am tired - of trying to be something I am not
All the fire - inside of me is false
I became a liar - ´cause my truth is kept behind
Of what I am required - to be, just me
Once upon a time there was someone
Whose story was known by many
And admired - even though - by a few
In a very short time everything
They thought one day be just fell apart
And their entire path drowned in misery
Resting now in their heart - death took over
Guided their existence to an aimless routine
Destroyed their dreams and deepest aspirations
Transformed their humble way of living their life
In a boastful and vain proud of nothingness
Darkness took place of its beautiful heart´s garden
Loneliness occupied its time with despair
Anger fulfilled its mind with hateful judgement
Absolute emptiness is now its rule of life
Surrounded by silence - annoyed by its content
Looking at their life - this someone is now no one, or just me
And everything all started with a broken heart - a creep...

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

vEnTAniA

Como o movimento das folhas nas árvores
Pelo vento calmo e ligeiro - ou intenso e duradouro
Assim sou eu nessa árvore da minha história
Pois essa vida é uma contínua ventania
Minha aparência muda como as estações
Me desnudo do que sou em tempos frios
Me encolho diante dos rigores dos eternos invernos
Envolvido pela rigidez de um sistema imbecil
Três-quartos do meu tempo tento me disfarçar
E esconder a seiva verdadeira que existe
Dentro de mim - que sei que me faz estar vivo
Que é na verdade o que tudo ao meu redor tenta me fazer esquecer
E como todos que seguem a maioria
Tenho aceitado as propostas banais sem sentido
Apenas por não ter e não ver mais sentido em nada
São tempos difíceis - poderia dizer
Mas as dificuldades sempre vão existir - de uma forma ou de outra
Então o problema está em como tenho lidado com a vida
Como um ingrato - olhando para quem a desfruta
Mesmo que seja tudo uma mentira
Acho que os seres humanos gostam demais da ilusão
Sim, não é mais tão fácil ser humano hoje em dia
Quase todo mundo já se esqueceu - ou prefere afogar
A verdade e as coisas concretas em terras distantes
Do solo onde estão acostumadas a se alimentar
Por isso que estão sempre cheios de vazio
O sabor da realidade é tão amargo e difícil de digerir
Que é mais fácil a adocicar com álcool
E mudar o que seria proibido e promíscuo
Em regra de vida - em lei de estado
A nossa passagem pelo ciclo vida-morte
É tão curta - mas não precisa ser banal
É tão vaga - mas pode ser cheia de memórias 
É tão simples e delicada - e um dia vai ser ceifada
Então por que a rotina toma conta  dos nossos dias?
Por que a mesquinhez nos faz ser robôs e marionetes
Que seguem com todo fôlego, ânimo e energia
Os momentos isolados do verão que duram tão pouco
E nos esquecemos de nos preparar para perder?
A coisa mais certa que vai nos acontecer
É que vamos perder tudo o que temos e morrer ao final
Para que perder tempo investindo em acumular tanto?
Se essa vida é apenas um sopro - ventania de um vendaval
Talvez quando entendermos isso será tarde demais...

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

oS mEUs vAziOs

Ando por aí - nas aventuras dessa vida
Colecionando, regando e cultivando
Por dentro e por fora - os meus vazios
Percebo que minha coleção só aumenta
Eles crescem rapidamente a cada dia
E o seu cultivo toma a maior parte do meu tempo
Assim como a maioria das pessoas
Nesse ponto extremo de agudos e escuros
Estou sendo bem educado para ser o que o absurdo
Da realidade - até então - tinha me preservado
Um morto vivo caminhando errante - sem alma
Numa ilusão animalesca e grotesca
Que parece tão real e palpável
Que meus pesadelos mais terríveis
São hoje minha realidade mais vital 
Criei necessidades que não existiam
E dei asas à imaginação bizarra
Que sempre viveu dentro de mim e nunca me abandonou - jamais
Não sei mais o que são sonhos - pois não os tenho
O que é amor - pois não o sinto
O que é paixão - pois o desejo
Ou é morto e estagnado dentro de mim
Ou é exagerado e carente - sem fim
Estou sempre mirando momentos passageiros
Buscando momentos de prazer alheio
Algo que me faça esquecer a dor da rejeição
E do sentimento de fracasso e incapacidade
Diante da vida de transformações que nunca para
De sempre perder e desistir a cada novo desafio
De ser a mesma pessoa frágil, infantil e delicada
Que não muda, não melhora e não amadurece
Algo pode até mudar exteriormente - mas no meu interior
Continuo a ser o mesmo poço de fracasso
Minhas derrotas estão bem enterradas
Nas terras desse coração que hoje é fétido
Cheio de amarguras, ressentimentos e muita carência
Costumes solitários ou acompanhados de solidão
Me destroem e me corroem pouco a pouco
Não sei mais se sou humano ou animal
Pois o que de mais errado que sempre esteve em mim
Hoje é visto ao contrário - sem nenhum porfim
Porque nada importa aos olhos de quem a vida
Escolheu para sofrer calado e ser um pobre parasita...

domingo, 24 de julho de 2016

mInHa mEsmA FicÇãO

Mudei demais até o ponto de  não mais me reconhecer
Fingi demais o que eu não era numa ilusão tentando viver
Busquei demais várias e diversas formas de prazer
E sempre soube que nada disso pode me satisfazer
Mas sou humano e tenho um coração
Sou mais sensível do que entendo - às vezes sem razão
E machucado pela vida desiludida da solidão
Percebi que as pessoas não vivem na minha mesma ficção
Cada história e cada vida que se adapta a cada dia
Estão em busca de um caminho a seguir - quem diria?
Que encha seus dias de muita alegria - ou mesmo euforia
De algo que lhes cure de todas as suas anomalias
Que contradição a vida me trouxe
Me tirando da mesmice e das amizades - que tolice
Eu pensava que tinha sido curado
E poderia viver como um robô - isolado
Mas livre, leve e solto - em cada night
Me disfarço e me fantasio - de palhaço
Pois ninguém me ama pelas mentiras que eu conto
Melhor era ser odiado pelas verdades que eu dizia
Pelo menos a felicidade pulsava em minhas veias
Mas hoje a velha busca pelas novidades
E pelos sucessos latentes que atraem milhões
Me lapidaram e me desvestiram do que realmente sou
Como posso me reconhecer novamente?
Penso em fugir desse mundo sem graça
E viver uma nova etapa nessa vida
Mas o problema é o que trago dentro de mim
A realidade exterior é só um espelho
Do meu coração - do que tenho acumulado
Da minha pobre alma - do que trago aqui guardado
Da minha mente - reflexo de pensamentos inimaginados
De tudo o que foi escrito em minha história
E embora nunca tenha gostado dessa matéria
Muito menos da geografia estática e humana
Percebi que minha psicologia perdeu todo o sentido
Quando deixei de atualizar dentro de mim mesmo
O que fui, o que sou e o quero ser
Onde estive, onde estou e para onde vou
Agora não sei se busco dentro do meu ego
Descobrir como me perdi e tento juntar os pedaços
De tantas quebraduras - em busca de alguma moral
Ou fujo disso tudo para me afundar numa vida banal...

sexta-feira, 8 de julho de 2016

eStRAdA rESiGnAdA

Sempre quis ser grande - como alguém que se destaca
Não apenas fisicamente - mas em todos os sentidos
Minha grande tristeza é que não apenas não sou grande
Mas também não sou pequeno - apenas médio
Então numa multidão posso passar despercebido
Sempre quis ser forte - no corpo e na alma
Cheio de músculos que as pessoas - e também eu mesmo
Pudessem apreciar e relevar isso em mim
Com uma decisão firme e determinada
De não voltar atrás em minhas aspirações
Então o que percebo é fraqueza e inconstância
Um mísero e frágil corpo
Numa alma deteriorada pelo peso dessas fraquezas
E uma vontade dominada pelos desejos infantis
Sempre quis ser e parecer maduro
Ou pelo menos mais do que sou - precoce
Onde principalmente mulheres enxergassem tal maturidade
E me dissessem o quanto apreciam isso em mim
Mas a realidade diz o oposto - sem precisar de palavras
Além de não ter uma mente e nenhum comportamento maduros
Ainda consigo ser pior que uma criança mimada
Que dadas as circunstâncias - parece que nunca vai crescer
Sempre quis ser sábio e inteligente
Como alguém que tem conhecimento das coisas
Que a vida ensinou na teoria e na prática
Que sabe o que faz e faz uso do seu intelecto
Mas conforme o tempo passa - e cada vez passa mais rápido
Percebo o quanto sou tolo e ignorante
Como o conhecimento não se fixa em minha mente
E como tenho dificuldade para aprender coisas novas
Não é fácil viver desnorteado - numa cultura errante
Sempre quis ser uma pessoa boa - que ajuda os outros
E se preocupa com os problemas e sofrimentos alheios
Mas de tão egoísta não consigo enxergar além do meu umbigo
Quero que todos me ouçam e me estendam a mão 
Inconscientemente vi que não lhes tenho compaixão
Sempre quis ser santo - e isso eu desejei muito
Megulhando de cabeça na vida espiritual - uma vida de oração
Sem pensar nas consequências partilhei isso com o mundo
E em cada obstáculo eu via uma escada de subida
Mas de tanto subir e cair cheguei num ponto estranho demais
Pensando em tudo que eu sempre quis - em toda a minha vida
Percebo que nunca fui e nunca consegui ser - nada do que eu sempre sonhei
O que posso fazer agora é desistir nessa estrada resignada
Ou continuar até o último dos meus dias
E acreditar cegamente que um dia tudo isso alcançarei...

domingo, 3 de julho de 2016

My mOsT dEeP fEeLiNgS oF LiVinG

This shit is the life I earned
No values of a matter in fact
Nothing to show - no attractive
Deception is all I got - by the way
Its huge collection is set in my heart
Disguised of all rational senses
By everyone around me - not even
One single soul cares or do share their life
Emptiness will never fulfill emptiness
That´s why I wander and keep this thought 
Of not understanding the hollowness of so many
Even though I am in this reality
It does not appeal to me - and will not
How come keep my eyes shut
If all I want is to go beyond of what I can see?
Why do forget where I did come from
And where I am going - uncertainly fate
If this world is not enough to satisfy my soul?
Doubts over doubts over life
Questions that will always be alike
Reasons that will never be abide
The truth is that everything is upside down
Now I don´t recognize even myself
The most difficult question to answer
It is what am I doing with my life?
If there´s no more ways to escape
I am certainly moving around
Hoping to get rid of all this weirdness
That consumes my soul and happiness
Throw back my most deep feelings of living
And maybe something could make sense again
Give me strength and courage to change
´Cause I can´t accept it anymore
For a while I will still be here
But my heart and mind are already away
Thankfully God helped me to have this sight 
Of a new and better freedom
There´s nothing that will hold my decision
And then suddenly some bright involves me
I know that loneliness will always try 
To persecute and break off my joy
But apart from being alone
What I just don´t want is to be by myself...

segunda-feira, 20 de junho de 2016

Life happens - Jennifer Water´s Poem

Since the first moment we met 
You had given us a trustworthy schedule
A 6 months programme to teach - making use of your mastering ways
Leading us to learn the secrets of Ms. Cambridge - in the advanced level

Comprehensive and always attentive to our needs
Has greatly shown your side of humanity with warmness and affection
Not only words were used in your method - but actions
Moreover, reality - to open our eyes to the fact that life happens

It goes without saying that only experts 
Can make things lighter to be easily learned 
What might demand a lot of patience - and in this process

Our joy is that - without actually realizing - we were upped
Our smile is real for all knowledge acquired is genuine
Our happiness will keep up for longer than we did think...
THX 4 EVRTHNG

Deirdre Campbell´s Poem

The one who patiently have taught us the great English
That does our mornings really pleasureful
In a particular way - funny and serious
We can´t even see the hours passing through

Even if we could have chosen a teacher
Maybe we won´t be so fortunate as we are
For all your great and impressive understanding
For your explanations "Few and Between so far"

So much happiness we have for having you
Guiding us, step by step
To the heart of your lovely language

Sad and tears - on our faces are left
Because this semester had past so fast
And all we wish you is all the best

domingo, 15 de maio de 2016

ViDa dE MEdoS

Me pergunto porque - deixo de ser quem eu sou
Para agradar a quem não me ama - ou me odeia
Porque prefiro esquecer da realidade palpável 
Para me iludir numa ideia - não concreta
Cheia de mentiras e falsas promessas de felicidade
Que mesmo com muitos anos de experiência
Ainda não me convenceu da intolerância
E infantilidade das minhas escolhas imbecis
Não entendo porque não aprendi com os erros
E os pecados que me fazem sofrer e chorar
Que me fazem no vazio me afundar
Para tentar encontrar a alegria - que percebi
Que não pode ser verdadeira longe de Deus
Porque prefiro obedecer meus instintos mais animais
E perder o equilíbrio - que com tanto sacrifício 
Tanto esforço e tanta luta - tinha alcançado
Porque me esqueço das verdades que me são
Mais caras e profundas - satisfação
Prazer certeiro que me priva da perdição
Luz que guia, dá força e direção
Força que transforma e fortalece a razão
Mas esquecida e apagada - não produz efeitos
Deixada de lado - nas gavetas da minha memória
Como se não existisse ou não tivesse importância
Como posso viver comigo mesmo sem me odiar
Se tudo o que faço - em todo tempo
É ser um imbecil que não pensa - e vive a errar?
O tamanho e a proporção dos meus erros
E a consequência das minhas imbecilidades
É tão imensa que não posso mais enxergar
Nem sequer uma virtude - ou heroísmo
Uma coisa boa que compense tanto malefício
Tenho espalhado desgraças, coisas ruins
Pensamentos e sentimentos - minhas tralhas
De forma tão latente e profunda
Que quase me é possível entender porque sou tão rejeitado
Então compreender que na verdade estou cercado
Pela minha história e pela minha vida
Em todo lado só aparência
Mentiras encobertas de perdão
Amor encoberto de ilusão
Hipocrisia encoberta de salvação
Uma vida de medos encarcerada em meu coração! 

eNqUaNTo eU ViVeR

Te desejo - quero te encarar de frente
Te quero - desejo olhar em teus olhos
Beijar tua boca - morder teus lábios
Deixar você louca - assim de paixão
Lamber seu corpo - te lambuzar
Te massagear e apertar teus seios
Até arrancar o néctar desse desejo
Te chupar como um picolé - um sorvete saboroso
E degustar cada pequena parte em você 
Quero mordiscar suas nádegas
E introduzir meu corpo no seu
Penetrar cada área conhecida
E te dar uma posteridade longa
Até não mais poder parar
Quero te seduzir e te conquistar para meu mundo
Te dar amor e te encher de saúde
Me dar a ti e te receber toda pra mim
Você não me deixa pensar em outra coisa 
Com seu perfume me faz delirar
Me faz sonhar com você nua a me satisfazer
A me enlouquecer com esse corpo escultural
Uma sereia cheia de charme e de tesão
Uma princesa provocante - que tira minha concentração
Uma menina sedutora que me arranca da ilusão
Que vem dar sentido à magia dessa atração
Pois faz entrar em erupção esse vulcão
Que adormecido permanece a tanto tempo
E acende com o fogo do seu corpo todo desejo
Você é fósforo em minha vida - acende chamas de paixão
Você é um perigo inflamável - solução para gerar explosão
O seu corpo é álcool puro - onde eu quero me embriagar
Até o ponto de ficar bêbado - de tanto te beber
E seduzido dessa forma - nunca me esquecer
Que foi você que me atraiu, me seduziu e conquistou
E agora só quero você enquanto eu viver...